AMAR, EU AMEI... E NELE ME PERDI!

    This site uses cookies. By continuing to browse this site, you are agreeing to our Cookie Policy.

    • AMAR, EU AMEI... E NELE ME PERDI!




      AMAR, EU AMEI... E NELE ME PERDI!

      Se você ama alguma coisa ou alguém, deixe que parta.
      Se voltar é porque é seu, se não é porque jamais seria.
      William Shakespeare.


      Quando a luz do sol pousou suavemente sobre a vagarosidade interminável do ir e vir das marés da baía de todos-os-santos¹, eu já estava lá. A lua desaparecia em algum ponto ao norte, e o cruzeiro do sul despencava no horizonte, e agora só o astro rei reinava. Havia amanhecido! Eu no entanto, demoraria para compreender o reinicio do ciclo interminável que é a vida.

      Perdido, estava dentro de memorias e memorias. Minhas... Suas... Nossas... Todas em turbilhão passando a centenas de quilômetros, e eu sentado ali, à beira da praia sob um barco de pescador revirado na areia. Sob o sibilar do vento que rodopiava, n'ele me dissiparia e voaria em pensamento até você.

      Me perderia em teus olhos verdes como a relva que cresce livre. Percorreria cada mecha de teus cabelos ondulados, várias e várias vezes. Sua ternura, sua vividez, sua alma, sentiria e tocaria neles como ninguém poderia fazê-lo...

      Mas observei tudo isso de longe..

      Mas eu me...

      Me afastei... não por que precisava, me afastei por que tive medo. Medo de ceder ao desejo tentador e não te ter. Medo de te amar e não receber nada mais que o sorriso languido e apenas isso de volta, quando o que mais queria era teus lábios colados aos meus, teus braços envoltos aos meus, teu corpo preso ao meu.

      Tive que me afastar, por que tua presença causa em mim um desejo atônico, poderoso demais para querer quebrá-lo. Te amei sem saber, e ao fazer vi você ir com outro. E isso foi minha derradeira queda. Ter te amado foi minha perdição.


      _________________________
      1 - reentrância da costa litorânea brasileira localizada no estado da Bahia.
      “São praias dotadas de areia branca e mar calmo, com piscinas naturais,
      fozes de rios, até praias com restinga, mata e manguezais, além de muitas ilhas.
      E o povo é extremamente peculiar, com suas tradições, saberes e fazeres,
      numa mescla de várias culturas, com várias histórias, mas com um ponto em comum:
      o senso de pertencimento e de identificação com o seu lugar”

      Redator(a): Elieltonsoul
      Chefe de Redação: mata hari

      A anarquia ostenta duas faces.
      A de Destruidores e a de Criadores.
      Os Destruidores derrubam impérios, e com os destroços, os Criadores erguem Mundos Melhores.

      The post was edited 7 times, last by mata hari ().