Fan Club da megar [2.056]

    This site uses cookies. By continuing to browse this site, you are agreeing to our Cookie Policy.

    Papyrus: 80ª Edição

    • Uma preciosidade que eu encontrei. A minha apresentação na DR-AT, no extinto Epsilon, em Julho de 2011.
      ==================================================================================


      Em primeiro lugar quero agradecer o convite que Poseidon me fez para fazer parte da DR-AT.

      O meu nick é megar e é o que uso nos 3 servers onde jogo e também no fórum.

      Decerto quase todos, senão todos, sabem que venho da extinta 300r. Não sei se a minha integração aqui será fácil, pois é a primeira vez que mudo de Ally, já na adolescência ikariana.

      No Gamma e no Kappa, mantenho os aliados que me viram nascer nesses servers. Por isso qualquer erro meu, eu peço desde já que me corrijam.

      Sou normalmente bem humorada e faço muitas perguntas durante as batalhas. Creio que não tenho inimigos, pois considero qualquer adversário como adversário mesmo e não como inimigo .

      Não sou uma jogadora/ ataque, por isso não me vão ver andar por aí a atacar para um lado e para o outro, mas ando sempre no meio, quando o colectivo é convocado, e no tempo de que disponho.

      Espero não me decepcionar e não vos decepcionar.


      E alguns dos meus depoimentos finais de guerras aqui no fórum
      ======================================

      ===X===


      Epsilon

      Wednesday,July 6th 2011, 8:21am

      O meu depoimento final

      Apesar de ser meu hábito, tecer algumas considerações no final de todas as guerras, tinha inicialmente pensado abster-me nesta, mas como acabei por ser envolvida, então aqui vai.

      Eu tenho o maior respeito por todas as alianças e pelos seus membros, desde que as mesmas se dêem ao respeito.

      E dar-se ao respeito, passa também por verem com quem se envolvem.

      Uma aliança de topo, com tantos jogadores no Top 100 de generais, declarar guerra a uma pequena recruta, em que só 4 membros têm mais de 100 K de pontos gerais e mais de uma dúzia nem 20 k têm, é no mínimo absurdo.

      E não digo isto por mim, mas pelos meus pequenos ex-pupilos, em que a maioria está a aprender tudo, a começar por saber o que precisam para ter uma embaixada e entrar numa aliança. Alguns que ainda têm só duas e três cidades.

      Aos que me quiseram dar recursos, sem se lembrarem sequer que não o poderiam fazer por risco de ban. Ao inocente que quis pôr um lanceiro em cada uma das minhas cidades para me poder avisar se eu fosse atacada. A todos eles eu estou grata, pela solidariedade demonstrada e trago-os no coração.

      Assim a DR-AT, desceu um pouco no meu conceito.

      Salvaguardo WOLFENSTEIN, que me proporcionou a batalha que me foi possível e com quem pude trocar dois dedos de conversa. Já MAIRAKI, respondeu com sarcasmo às minhas brincadeiras.

      Espero que para os meus ex-pupilos, esta guerra que nos foi imposta, os venha a fortalecer e a torná-los futuros grandes guerreiros.

      Algumas horas antes da declaração de guerra, foi anunciada a extinção desta recruta (tenho um print dessa mensagem, para não haver bocas de que pode ter sido manipulada).

      A extinção ficou agendada para o dia 5 e assim se cumpriu. Assim, alguns membros foram atacados quando já estavam em fase de abandonar para se dirigirem a outras alianças, e não por qualquer outro motivo. E assim vai acontecer por mais algumas horas até que o sistema desmarque a 300r que desde a meia-noite, já não existe.

      Portanto para mim, esta guerra acabou, enquanto 300r.

      A todos os meus ex-companheiros da 300r, desejo a maior sorte na nova caminhada.

      ===X===

      Epsilon / DR-AT

      O meu depoimento final

      Final de guerra

      Bem, pouco tenho a dizer, mas é mais por hábito que venho tecer algumas considerações no fim de uma guerra em que participei.

      Pequenina participação pois eu sou um nada neste mundo e na DR-AT. Mas foi para mim muito gratificante ombrear com veteranos, verdadeiras lendas do Épsilon.

      Assim, quero agradecer e manifestar o quanto me apraz ter sido convidada para fazer parte desta família.

      Agradecer aos que têm tido a paciência de prontamente me tirarem dúvidas e ensinarem o caminho a seguir.

      Sei que tenho pela frente um longo percurso de aprendizagem, mas estar entre os melhores é o melhor incentivo para tentar algum dia poder igualá-los.

      E agradecer também aos adversários que me calharam pela frente, pois sem eles, este jogo não teria sentido.

      Finalmente, dar os parabéns a todos os envolvidos, pela postura mantida no fórum.

      ===X===

      Darkness Reign(DR-AT) Vs GregosImortais(GRIM)

      Tuesday, October 4th 2011, 12:07pm

      O meu depoimento final

      Como vem sendo hábito, vou tecer algumas (muito breves) considerações no final de mais esta guerra no Epsilon.

      Tenho pouco a dizer pois as minhas participações são muito breves, mas quero agradecer aos meus companheiros de luta, o poder participar ao lado deles. É assim que vou aprendendo mais e mais.

      Agradecer também aos nossos adversários, pois alguns engajaram-se bastante nas batalhas.

      E manifestar que (apesar dos pesares – que prejudicaram bastante a aliança), os envolvidos deram o melhor de si. É gratificante pertencer a uma Ally com tamanha união e dizer, como um aliado – se não pertencesse à DR, pediria para pertencer à DR-AT.
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


      The post was edited 5 times, last by megar ().

    • Mais depoimentos ...


      GAMMA

      ======

      Sunday, December 5th 2010, 3:30pm
      D J L - O meu depoimento final

      Eu não tenho inimigos, só adversários


      Já o demonstrei inúmeras vezes, pelos contactos que mantenho ou provoco com jogadores de outras alianças, vezes sem conta.

      E embora antecipadamente, terminou mais uma guerra no mundo Gamma. Parece que a minha Aliança nunca consegue participar numa guerra com princípio, meio e fim.

      E foi pena a pouca participação, mesmo de quem era de esperar muito mais.

      Algumas (ou muitas?) noites mal dormidas e o serviço do dia a dia a não se compadecer, pois raros são os que não têm compromissos fora do jogo e as guerras exigem muita disponibilidade. Para complicar, o desespero que se prende com o mau serviço de internet no País onde vivo. O normal, é funcionar mal (ou não funcionar). Aí eu choro – de raiva, pela impotência de querer ajudar e nada poder fazer.

      Também algumas provocações de parte a parte aqui no fórum por vezes evitáveis mas, como se diz muito onde eu vivo: fazer mais como?

      Para mim, que tenho pouca experiência e apesar da pouca participação, foi um bom aprendizado.

      Assim quero aqui agradecer:

      Ao nosso General Pedro Lucio (já chamado o Magnânimo), pela orientação sempre cuidada e atenta.

      Ao nosso Diplomata Warmup sempre lado a lado, braço direito (e esquerdo - eheheh), lugar-tenente do nosso General em todas as horas.

      Ao nosso Líder The Game pelo auxílio e incentivo e pelos sacrifícios consentidos em prol da Ally na aventura desta guerra.

      Aos restantes, em especial à ThaliaC, toda coração, sempre pronta a ajudar tudo e todos.

      Kayapó, o meu poeta filósofo e ukras sempre discreto. Jahan, bkbinho, maufeitio, BlastedEmpire, Pradu, Prince, sempre disponível e óptimo companheiro e Pipas, quase tão ignorante nesta lides como eu – ambos temos muito que aprender mas fizemos o que melhor pudemos e soubemos, e a todos os outros não nomeados (irmãos e companheiros pela aliança, alguns já de longa data) e que de algum modo ajudaram.

      Alguns não fizeram mais devido às diferenças horárias. Há vantagens e desvantagens da Aliança abranger tantos fusos horários.

      À FPM por ter feito esta guerra acontecer, e a todos os seus membros em especial à Veri que a declarou. Grande guerreira e com bom poder de recuperação (quem a conhece diz que é muito boa pessoa, embora aqui por vezes passe má imagem dela própria – minha opinião, eheheh).

      Pelo aprendizado que esta guerra me proporcionou porque, como eu digo sempre, ninguém nasce grande nem ensinado.

      É preciso persistência, aceitar os desafios que se nos proporcionam.

      Seguir o Lema:

      - As coisas difíceis são fáceis de resolver, já as impossíveis, demoram mais um bocadinho.

      Por tudo isto


      Vamos para a frente, que atrás vem gente
      Porque não queremos ser empurrados, nem que nos passem à frente



      Obrigada D J L
      Viva a D J L

      megar
      (desejo a todos os jogadores de todos os mundos, continuação de bom jogo e vontade firme de contínua superação com fair play e humildade quanto baste).


      PS: A meio da guerra tivemos conhecimento do falecimento de familiares directos do nosso adversário Bravehearth. Endereço-lhe os meus mais sinceros sentimentos de pesar pelo ocorrido. A morte é o adversário que ninguém consegue vencer. Mesmo que se lhe vençam algumas batalhas, ele acaba sempre por vencer a guerra. E é o adversário que todos teremos que enfrentar um dia...



      =====xxxxx=====

      Friday, July 22nd 2011, 4:01pm
      O meu depoimento final


      Uma vez mais vemos o término de uma guerra no Gamma.

      Não foi uma guerra grande, mas foi uma grande guerra, pois além do mais, contribuiu para a consolidação dos laços de amizade e entreajuda dentro da aliança.

      Mas esperávamos um pouco mais da Gr-Ro, pois se adivinham lá grandes guerreiros. Houve de parte a parte grande mobilização de generais, que já não deu tempo de confrontar em batalha.

      Quanto aos milagres, não os tínhamos previsto, mas também activámos um, após os Gr-Ro o terem feito.

      Quero dar uns parabéns especiais ao Zé Vicente pois tinha fuzileiros tão bem treinados, que na última ronda (a 63), um só, enfrentou os mais de 20 mil combatentes nossos. Honra e glória ao fuzileiro do Zé Vicente.

      Peço desculpa em nome da D J L, a todo e qualquer jogador que tenha tido alguma cidade ocupada por nós, devido a movimentações de tropas.

      E finalmente, quero agradecer aos meus aliados e aos nossos adversários pela postura mantida no fórum.

      Agradecer também ao nosso Líder, The Game e aos nossos Generais, que se foram revezando conforme podiam – MacLeod e Pedro Lúcio, pela entrega sempre que necessária e orientação precisa.

      E como Diplomata de aliança, agradeço a todos os que acompanharam os tópicos da guerra e nos manifestaram o seu apreço.


      =====XXXXX=====

      Monday, October 17th 2011, 1:45am

      D J L – O meu depoimento final



      Mundo Gamma com mais uma guerra a chegar ao fim, pois estamos sensivelmente a 12 horas do seu término e os resultados já poucas alterações devem ter. A grande batalha também já foi postada.

      E como digna vencedora, a Ghost tem os meus parabéns. Creio que os resultados poderiam ter sido um pouco diferentes, se a minha ally tivesse abordado os nossos adversários de maneira diferente, mas disso a Ghost não tem culpa e não lhe tira o mérito.

      Tem grandes jogadores este nosso adversário, são bastante unidos e por culpa nossa, lutaram sempre no seu próprio terreno. Não tiveram que se deslocar mais de um e mais de dois dias, nem de criar pontos de apoio, para as suas tropas e frotas. E impressionante – são exímios marinheiros. Em nenhuma guerra tinha ainda visto tantas batalhas marítimas, e algumas bem prolongadas para a sua espécie. Também numa das batalhas marítimas tivemos um desfecho inexplicável, mas oportunamente tentarei saber junto de responsáveis do jogo, o que motivou o acontecido.

      Mas basta de elogios à Ghost, antes que fiquem “convencidos”.

      Pelo meu lado, creio que foi a pior guerra em que participei. Oxalá aprendamos com os erros cometidos. No entanto não posso deixar de enaltecer os meus aliados que participaram e fizeram tudo o que foi possível para reverter os resultados. Foram muito sacrificadas as horas de sono, durante dias seguidos.

      Assim, agradeço à minha liderança – Jahan, MacLeod, Pedro Lúcio e The Game o grande envolvimento nesta guerra. Também à nossa Exterminadora – Veríssima, e ao coração da nossa aliança – ThaliaC.

      Não posso deixar de lembrar também Pipas, ukras, BlastedEmpire, ramosa, TópeGuíar, Revolt 32, SL4v3M4st3r, KingPT e ismagom. Todos deram o seu melhor e merecem um louvor. Foi pena não haver participação do resto da Ally.

      Para já, o melhor é voltar a casa e começar a fazer limpeza.

      E continuação de bom jogo a todos os envolvidos.


      =====xxxxx=====

      Sunday, April 15th 2012, 12:35am

      D J L – O meu depoimento final



      Acabada a guerra, começo por endereçar os meus parabéns aos nossos adversários pela vitória alcançada. Deram uma verdadeira lição de união. Esperamos que a próxima guerra seja ainda mais animada do que esta.

      Só lamento a atitude do Imperial, mas cada um é livre de fazer o jogo que deseja.

      Dou também os meus parabéns aos meus aliados que se envolveram de algum modo em mais esta guerra. Pena serem tão poucos.

      Não alcançámos os objectivos inicialmente traçados, mas mais uma vez caímos nos mesmos erros – está difícil aprendermos.

      Mas, apesar de não ganharmos a guerra, e mais de metade dos nossos soldados terem ficado nos campos de batalha ou no fundo do mar, pelo menos os sobreviventes… cansados, esfarrapados, famintos e sedentos, perderam as mochilas mas não perderam a honra nem a sua BANDEIRA.

      Náufragos… agarraram-se a qualquer pedaço de lancha e ao sabor dos ventos e das ondas, depois de muito mar – estavam longe, foram chegando às nossas praias. Foram recebidos de corações abertos como heróis que são. Têm muito que ensinar aos jovens que os irão substituir.

      E querido Líder The Game, nada de desânimos, temos que seguir o exemplo dos nossos soldados. A Bandeira está lá, bem no alto…


      =====xxxxx=====


      Monday, July 2nd 2012, 5:42pm
      O meu depoimento final - RAV I vs D J L

      Pela primeira vez, eu não sei o que dizer.

      Após os primeiros dias em que cada um se queixou do sítio exacto onde lhe doía o cotovelo, tudo se desenrolou na paz dos anjos.

      Não houve muitas noites mal dormidas, não houve fogueiras sensacionais, nem fogo de artifício final.

      Para uma comemoração natalícia, que se adivinhava estrondosa, esta guerra deixou muito a desejar.

      Certo que muitos elementos da D J L não puderam dar o seu contributo. Os que puderam, estiveram às pressas a arranjar vestimenta adequada a tão grandioso acontecimento. Pudera, a RAV I estava já em traje de gala à nossa espera…

      Mas deixaram-nos no meio do baile como baratas tontas. Isso não se faz. Tantos generais mortinhos por entrar na contradança e deixam os seus pares simplesmente a jogar o jogo de esconde esconde.

      Onde estão os digníssimos representantes dos imortais?

      Fizeram de facto inúmeros RCs com o pessoal que menos entra no jogo. Mas um frente a frente vigoroso … nada.

      Só espero que a ausência do digníssimo líder da RAV I, se deva a uma posição estratégica e não a qualquer problema a nível pessoal extra-jogo, pois nas suas cidades não encontrámos os mais de 40 mil generais que comanda e também não tivemos notícias que os mesmos tenham querido visitar qualquer dos meus aliados.

      Mas também os restantes generais permaneceram na sombra. Houve apenas a participação de um ou outro, que não fazem jus às eufóricas manifestações iniciais pós declaração.

      Mas vimos contas a mudar de donos (nada contra, é jogo). E também contas a entrar de férias, de ambos os lados (lamentável mas ... é jogo)

      Portanto, quero dar os parabéns aos que realmente participaram, de parte a parte – alguns foram incansáveis nas viagens demasiado longas - muitas horas, para pequenos resultados, mas paciência, é no que o jogo se tornou.

      Mas para mim foi a guerra menos proveitosa em termos de aprendizagem.

      Quero ainda dar uma palavrinha ao Mauricinho ( ... os gajos da D J L...). Mauricinho, os gajos, são os teus coleguinhas da escola. A D J L não é perfeita, mas e muito digna. Os seus membros como aliança, merecem todo o respeito. E se há um ou outro que merece um apontar de dedo, é isso que se deve fazer, apontar o dedo. Todos os membros têm um nick e é por ele que devem ser tratados os que merecem um apontar de dedo.

      E para terminar umas anotações em relação às contagens da guerra.

      Tivemos um membro que saiu da aliança na noite de 18.06. Com mais 24 h, o mesmo deixou de pertencer à aliança na noite do dia 19 e portanto são inválidos quaisquer combates após essa data. No entanto, não temos como provar a hora de saída pois com o excesso de mensagens, quando pedi ao nosso S E um print da saída, já não foi possível localizar a mensagem da respectiva notificação. Portanto, todos os RCs postados, estão considerados.

      Também há um RC sem data nem local do combate, mas também está considerado na minha contagem, que anexo.

      Não fui conferir se os meus dados coincidem com a contagem da RAV I, porque já está feita desde hoje de manhã.

      Mas um aparte em relação à hora do término da guerra. Foi pedida por mim, a confirmação da hora do término e eis a resposta do Sérvolo.



      Quoted
      servolo

      Tuesday, June 26th 2012, 12:53am
      Término Da Guerra
      Minha cara amiga Megar

      Sobre a hora do termino da guerra, o mais lógico será às 11:41 Pm, pois foi a essa hora que se poderia começar os combates, 12 horas após a declaração




      Face a esta informação, o RC que consta do post 86 é válido.

      No mais continuação de bom jogo, tanto para os meus aliados como para todos os membros da RAV I. Espero que nos voltemos a encontrar com melhores condições em termos de disponibilidades.

      Bem hajam

      megar
      (Diplomata D J L)


      =====xxxxx=====

      Sunday, April 21st 2013, 3:29pm
      O meu depoimento final – RAV I vs D J E

      Ai que sono …

      Bem, foram poucos dias mas muito intensos.

      Não se podiam cometer erros, para uma aliança tão pequena e um pouco fragilizada como estava a D J E.

      Sabíamos que a RAV I, uma ally que se pode dizer “rica”, super bem fornecida em generais e bem liderada, não nos iria dar tréguas e assim aconteceu, apesar de notarmos a ausência de alguns membros que vimos activos contra a D J L e que agora não se mostraram, mas todos podem ter impedimentos e nós compreendemos isso.

      Restava-nos seguir à risca as orientações do nosso General, que mesmo com aulas durante todo o dia, aproveitava o tempo disponível para dividir entre os trabalhos escolares e a orientação das manobras. Assim tinha que ser, pois os estudos terão sempre que ter prioridade. Parabéns ao Lc21 pela sua boa orientação.

      Também nos vimos privados de outra aliada pelos mesmos motivos, os estudos. Em parte pelo nosso Líder, por motivos pessoais. E outro aliado que por motivo de doença quase ficou sem ouro e sem tropas. Imprevistos que podem acontecer a qualquer um.

      Assim, os restantes foram fazendo o que era possível, dividindo o tempo com os respectivos serviços e as horas de descanso e procurando não cometer muitos erros.

      Por tudo isto, parabéns a todos os meus aliados pelo desempenho e união. Foi a primeira vez que participámos numa guerra declarada, desde que somos a Elite.

      Quanto à RAV I, também está de parabéns pelo esforço conseguido.

      Admiro principalmente o seu espírito de sacrifício, embora a meu ver, pouco louvável e desnecessário. Numa batalha absolutamente perdida, de que adianta estar a deixar queimar barcos-morteiros, em vez de os retirar?

      Mas creio que todos aprendemos mais um pouco destas lides Ikarianas.

      E acima de tudo valorizar o fair-play mantido durante toda a guerra. Sempre teremos adversários e não inimigos. Alguns intervenientes (não interessa nomes) até subiram na sua postura em relação a tempos atrasados. Isso é o mais importante neste jogo de que todos gostamos.

      Portanto quero agradecer aos meus aliados e aos membros da RAV I, os bons momentos passados durante estes dias e agradecer também a todos os que se manifestaram neste tópico, tenha sido ou não, a favor da D J E.

      Até à próxima

      megar
      Diplomata da D J E

      Segue o meu mapa das contagens, sem saber se há mais algum RC não postado quando o terminei. Ainda não o confrontei com os resultados apresentados pela RAV I. Qualquer lapso será de imediato corrigido.


      Generais perdidos:

      RAV I - 198.709
      D J E - 120.106

      Diferença a favor da D J E - 78.603

      Vencedor - D J E
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


    • Mais alguns depoimentos. É grato poder recordar e ainda bem que os guardei.
      =====

      Desta vez, do Kappa

      KingsOfJustice (-KJ-) vs We Are Legend (WAL)


      Monday, March 14th 2011, 7:30pm
      O meu depoimento final
      Como já vem sendo hábito, e quem me conhece não estranha, deixo aqui as minhas últimas palavras nesta guerra.

      Continuo a aprender - nunca saberei o suficiente, nestas lides de guerras no ikariam.

      Mas este aprendizado só é possível, se tivermos adversários e por isso quero agradecer a quem foi meu oponente nesta guerra.

      E para os meus aliados que sempre me ajudam com os melhores conselhos, aqui deixo também o meu muito obrigada.

      E vamos esperar pela próxima.

      Diferença: 51.366 a favor da -KJ-

      Como podem ver a KingsOfJustice é a real vencedora desta guerra.


      ===XXXXX===

      Wednesday, April 6th 2011, 7:53am
      O meu depoimento final

      Mais uma guerra chegou ao seu término. Não da maneira mais esperada, mas enfim

      Os nossos soldaditos sobreviventes, feridos, famintos e esfarrapados, carregaram as magras mochilas e voltaram para casa, com a certeza do dever cumprido. Foram poucos os que conseguiram dar essa alegria à família -KJ-, mas todos nos orgulhamos deles.

      Apesar de ainda não ter saído a contagem, todos sabemos quem ganhou.

      Assim, quero dar os parabéns à -AC- por esta vitória nos campos de batalha (ainda não fixei a nova tag). Souberam excelentemente tirar partido da sua superioridade numérica e dos milagres de que dispuseram. Foram algumas boas batalhas, apesar do desnível de participantes. Mas todos fizemos o melhor que soubemos ...e que pudemos.

      Não me sinto derrotada. Cada percurso de ilha em ilha e de cidade em cidade, ...cada batalha … foram para mim uma aula, em que tentei aproveitar o máximo de ensinamentos. Tem que ser um passo de cada vez. Cada vez mais e mais, sinto que não sei nada. E não é todos os dias que temos disponibilidade de andar com as tropas a procurar as do adversário, sempre a mais de 10 ou 11 horas de casa.

      Mais uma vez obrigada aos meus companheiros de luta. Como sempre, lutámos no campo de batalha com os adversários e, com as diferenças horárias, as noites mal dormidas quantas vezes em vão e as dificuldades da vida no dia a dia de cada um, entre nós.

      Por tudo de bom que esta guerra me deu o meu muito obrigada a todos os envolvidos.

      E Junorq ...porque será que a -AC- é tãããããão escolhida pelas alianças? Não será porque tem tido (pelo menos até agora) uma página externa ...tãããããoatractiva?

      Quanto ao nosso particular, podemos combinar. Estamos muito longe um do outro. Uma grande fatia da minha ally, está a muitas e muitas horas de qualquer membro da ex -AC-, mas nada é impossível, pois o meu eterno Lema é:



      As coisas difíceis, são fáceis de resolver
      Já as impossíveis … demoram mais um bocadinho

      PS - Oficialmente a -AC- devia ser considerada derrotada pela fusão e alteração da Tag, três dias antes do término da guerra

      ===XXXXX===


      Tuesday, July 5th 2011, 7:13pm
      O meu depoimento final


      Como vem sendo hábito, vou tecer algumas considerações no final de mais esta guerra no Kappa.

      Em primeiro lugar, agradecer aos meus companheiros de luta. Foram vários dias a caminhar de ilha em ilha, ora à frente, ora atrás dos senhores da EVO.

      Quero dar os parabéns a todos os que em algum momento se envolveram nesta brincadeira, tanto aliados como adversários. É assim que aprendemos.

      Constatei (pelo menos fiquei com esta opinião), que a EVO, decididamente não é uma aliança vocacionada para as guerras mas, defendem o seu espaço com unhas e dentes.

      Foi frustrante o CaptainSparrow, ter metido férias, mas quero crer, que foi unicamente por não poder abastecer de vinho as suas cidades, e não para fugir à luta.

      De resto, pouco mais há a dizer. Só lamentar que membros de outras alianças tenham impedido alguns aliados meus de participar envolvendo-se em batalhas com eles, no decorrer desta guerra. Mas fazer mais o quê? Não há regra nenhuma que impeça que isso aconteça.

      Então, sendo assim, vamos preparar-nos para a próxima.

      Bem hajam, a todos.


      ===XXXXX===

      Wednesday, September 28th 2011, 4:53pm
      KJW - O meu depoimento final


      Mais uma guerra chegou ao fim e como já vem sendo hábito, muito longe de casa.

      Assim quero dar os parabéns à _DD_ pela vitória alcançada.

      Mas não me sinto derrotada, nem humilhada, pois tenho a consciência de ter feito o melhor que me foi possível. Ninguém nasce grande nem ensinado. Apenas o apoio foi pouco. Mas foi muito importante o que aprendi a nível de batalhas marítimas principalmente.

      Claro que reconheço que a própria declaração de guerra não nos foi nada favorável, pois foi o resultado do “ressabiamento” de alguns, mas disso o nosso adversário não tem culpa. Apenas nos restou dançar conforme tocámos. Erro nosso, pois assumimos uma declaração de quem até abandonou o barco a meio da guerra.

      No entanto tive o agrado de ver alguns aliados que também se esforçaram por manter para a aliança, o nome que tinha alcançado antes e que espero seja reposto em breve.


      ===XXXXX===

      Thursday, January 12th 2012, 9:12pm
      Kappa - O meu depoimento final

      A guerra –KJ-vs O W, chegou ao fim.

      E como os vencedores devem ser parabenizados, dou os parabéns à O W pela vitória. Magra vitória, enfim ...

      Mas foi a guerra mais sem graça em que participei até hoje.

      Depois de 2 ou 3 dias xôxos, a O W reagiu para virar o resultado a seu favor e praticamente desapareceu novamente.

      Lembro-me dos primórdios do Kappa em que se viram belos RCs com a intervenção da O W.

      Uma aliança tão grande, com tantos membros e espalhada por todo o Kappa, salvo raras excepções, só se viu a atacar quando tinham a vantagem assegurada, pois caso contrário retiravam da batalha. Dou os parabéns às excepções.

      Será estratégia da OW ter poucas e na maioria dos casos, só uma cidade em cada ilha? E isso parece que funciona, pois permite fugir quando se vê um ataque eminente e o adversário perde tempo infindo a andar de ilha em ilha. Pelo menos com pequenas alianças como a –KJ-.

      Também a O W teve o privilégio de contar com imensos milagres. Sorte da O W que tem muitos crentes enquanto a –KJ- creio que nem tem nenhum. Mas aí, é culpa nossa, por sermos tão ateus.

      De resto, quero dar os parabéns a todos os meus aliados que participaram. Não foram muitos mas foram todos impecáveis e não se furtaram a esforços para levarmos esta pequena guerra até ao fim.

      E tenho que rever com a minha liderança, a cláusula de guerras só por perdas de generais. Tivemos a intenção de motivar mais a participação, pois assim havia pouco risco de perder os bens e evitar-se-ia que os jogadores fossem passear de férias, para os proteger, mas creio que isso não resultou. Começo a crer que tenho que dar razão a quem comentou o apoio a perdas totais.

      Mas aprendemos mais sobre a arte da guerra ikariana, que é sempre o principal objectivo. (Não se pode dizer que o principal é vencer. Isso é óbvio pois ninguém gosta de perder, nem que seja a feijões).

      E antes do fim da guerra, soubemos que nasceu o filhinho do nosso aliado hjc. Parabéns hjc, o teu filho vai ser com certeza um grande guerreiro, como o pai o é. Muitas venturas, saúde e felicidades para ele. Tens a aliança em peso, como tias e tios do bebé, pois esta é a nossa família.

      xxxxx

      Friday, January 13th 2012, 7:11am
      Afinal ...

      Parece que não foi ... o meu depoimento final ...

      lutador1976, em momento algum eu denegri a imagem da OW e o que eu escrevi reflete ... a MINHA visão do que aconteceu em relação à MINHA participação, aliás eu tenho e sempre tive o maior respeito por todas as alianças, em qualquer server, amigas e adversárias, mesmo que estas estejam a ser enxovalhadas por outras. Em todas as alianças há bom e mau, como aliás em qualquer sector da vida, agora e desde sempre.

      E há valores que respeito acima de tudo, mesmo num jogo virtual - estive em ilhas em que tinhas aliados com quem eu tinha um Tratado, e abstive-me de atacar mesmo estando em superioridade, porque nunca quebrei um pacto estabelecido seja com quem for.

      E antes de escrever, fui analisar todos os RCs postados, um por um. Continuo a considerar-me muito ignorante na arte da guerra mas que eu saiba quando o RC termina dizendo que A, B ou C foi chamado e retirou-se da batalha, é porque fugiu, seja o motivo qual for, mesmo que seja estratégia. Também temos casos desses mas os da O W são inúmeros. Uma batalha para ser concluída terá que terminar com um dos lados completamente destruído ou que o exército fugiu porque estava estafado da luta ou viu que o exército adversário era superior. Corrige-me se estou errada.

      Quanto aos milagres, não fiz uma acusação, mas apenas um comentário e que é a nosso desfavor, pois temos mesmo falta deles - falha nossa.

      Quanto a ajudas externas, não vi (e acentuo - EU NÃO VI) em momento algum, qualquer intromissão fosse de quem fosse, alheio à nossa sã disputa.

      E aproveito o tópico para dizer ao Scorpion....Wins que continua a meter-se (e muito) onde não é chamado.


      ===XXXXX===

      Monday, March 25th 2013, 11:04pm
      O meu depoimento pós-guerra


      É meu hábito fazer um depoimento final, em análise ao que foi para mim a guerra terminada. Quem me conhece, sabe que sempre assim procedi.

      Desta vez, não posso fazer um depoimento final, pois nem sequer participei na guerra. Vários factores impossibilitaram-me a participação, incluindo a saúde.

      Já pedi desculpa aos meus aliados e aproveito a oportunidade para também a pedir aos meus adversários, mas decerto haverá outras oportunidades em que eu possa estar presente no desbaste do enxofre e da madeira.

      Assim, resta-me dar os parabéns à ILL pela vitória e aos meus aliados pela participação. E até à próxima.
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


    • E no pouco tempo do Ny



      Friday, July 3rd 2015, 10:21am

      DEPOIMENTO APÓS GUERRA



      Por motivos de saúde e graves problemas com a internet, não me foi possível participar nesta guerra. Fui acompanhando esporadicamente o desenrolar da mesma, na medida que me foi possível.

      Mas quero manifestar que, apesar de alguns deslizes na formação de exércitos e frotas e posicionamento no decorrer das batalhas na procura de alvos, a minha aliança não se saiu mal de todo. Para isso creio que também contribuiram os nossos adversários com iguais problemas.

      Ambas temos ainda muito caminho a percorrer, mas é mesmo assim, estaremos sempre a aprender.

      Assim, quero dar os parabéns as todos os guerreiros que participaram na guerra de ambas as alianças, não só aos activos, mas também aos que ajudaram nos bastidores.

      À FEE, sem a qual não teria sido possível esta guerra.

      E claro um VIVA especial à minha aliança por ter vencido a guerra. Se não me enganei nos apanhados, houve uma diferença de 58.943,3 generais a favor da K J E, dos quais, 40.000 foram de penalizações.

      A FEE bem podia ter evitado as penalizações, mas concordo que nem sempre se consegue controlar o entusiasmo dos membros. A K J E não precisava desse bónus extra para vencer e eu fiquei satisfeita que assim fosse.


      --==xXx==--


      Wednesday, December 16th 2015, 4:50pm
      O Meu Depoimento Final

      Acabada a Guerra, há que enterrar os mortos e tratar dos feridos.

      Dar os PARABÉNS à -M- pela vitória. Souberam tirar proveito de todas as condições favoráveis que tiveram – a falta de discussão dos parâmetros da guerra, o nosso início tardio, o ataque em bloco e a situação privilegiada de além de estarem perto, terem bases nas nossas ilhas - muito graças a certos, não quero chamar-lhes traidores, pois cada um é livre de estar onde quiser, mas talvez oportunistas, que nos deixaram para engrossar as fileiras da -M-, cuspindo para o prato onde comeram de quem um dia chamaram companheiros. Eu não o faria, mas isso sou eu que me rejo por outros valores e ninguém é obrigado a pensar como eu.

      E rakon, ninguém vai questionar os resultados que apresentaste. Sabíamos, ao fim de 3 ou 4 dias, que a guerra estava perdida para nós. Mas apesar de nunca me considerar uma grande guerreira (nem grande nem pequena), não me sinto diminuída. Tenho consciência que fiz menos do que sei e que cometi muitos erros. Fiz o que pude, quando pude.

      Quero agradecer ao nosso General que, também quando pôde, não se poupou a esforços para estar presente, passando várias noites sem dormir e não se deixando arrastar, espezinhado pelas tropas adversárias. MORREMOS DE PÉ.


      Obs. rakon, creio que se tivesses contactado o moderador que fechou o tópico de RCs, talvez ele o reabrisse para postares os RCs em falta.
      .

      rakon wrote:

      De qualquer das formas foi divertido (julgo que para vocês também) :ili: e mesmo a -M- tendo uma vantagem inicial grande, durante toda a guerra essa vantagem esteve sempre a oscilar pelos bons RCs que a K J E conseguiu fazer, o que deixou a decisão de vitória muito imprevisível até ao último fim-de-semana. :beer:
      Vi formas de batalhar :chainsaw: muito semelhantes, o que levou alguns RCs a ficarem praticamente empatados. Talvez os conhecimentos da arte da guerra das nossas alianças venham dos mesmos mestres :D :hail:
      Tendo em conta a diversão que se proporcionou e as confusões antes do início da guerra, nomeadamente por nem todos na K J E saberem que ia haver guerra ?( , lanço o desafio de uma desforra entre as nossas alianças, desta vez em datas à vossa escolha! :beer:

      rakon, a KJE necessita de uma revisão severa, para pensar para já, numa desforra. Mas quem sabe, algum dia.
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


      The post was edited 1 time, last by megar ().

    • 10 de Junho


      Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas...Dia de Camões. Hoje, é glorificado aquele que teve uma vida desgraçada.

      O dia em que nasci moura e pereça,
      Não o queira jamais o tempo dar;
      Não torne mais ao mundo, e, se tornar,
      Eclipse nesse passo o sol padeça.

      A luz lhe falte, o sol se [lhe] escureça,
      Mostre o mundo sinais de se acabar;
      Nasçam-lhe monstros, sangue chova o ar,
      A mãe ao próprio filho não conheça.

      As pessoas pasmadas, de ignorantes,
      As lágrimas no rosto, a cor perdida,
      Cuidem que o mundo já se destruiu.

      Ó gente temerosa, não te espantes,
      Que este dia deitou ao mundo a vida
      Mais desgraçada que jamais se viu.

      Luís de Camões
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


    • "♥*´¨)*
      ¸.•*¸.•*´¨).•*¨)
      (¸.•´*(¸.•´*(.¸. •*♥''Use vírgulas para separar as experiências boas das más. Reticências para quem lhe faltou em alguma situação. Salpique exclamações na sua vida. Abuse das interjeições de felicidade. Faça uma revisão nos seus sonhos. Tome decisões com letra maiúscula. E coloque ponto final na tristeza.''

      Autoria desconhecida
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


    • Uma história para reflectir:


      A MARCA DO AMOR


      Um menino tinha uma cicatriz no rosto e as pessoas de seu colégio não falavam com ele e nem se sentavam ao seu lado.

      Na realidade quando seus colegas de colégio o viam, franziam a testa porque a cicatriz era muito feia.

      Então a turma reuniu-se com o professor e foi sugerido que aquele menino da cicatriz não frequentasse mais o colégio. O professor levou o caso à directoria do colégio.

      A directora ouviu e chegou à conclusão que não poderia tirar o menino do colégio, e que conversaria com o menino e ele seria o primeiro a entrar na sala de aula e o último a sair. Desta forma nenhum aluno via o rosto do menino, a não ser que olhassem para trás.

      O professor achou magnífica a idéia da directora, sabia que os alunos não olhariam mais para trás.

      Levada ao conhecimento do menino a decisão, ele prontamente aceitou a imposição do colégio com uma condição: Que ele compareceria na frente dos colegas na sala de aula, para dizer o porquê daquela CICATRIZ.

      A turma concordou, afinal era só mais uma vez.

      E no dia marcado o menino entrou, dirigiu-se à frente da sala de aula e começou a relatar:

      - Sabem turma, eu entendo vocês, na realidade esta cicatriz é muito feia, mas foi assim que eu a adquiri:

      Minha mãe era muito pobre e para ajudar na alimentação de casa, passava roupa para fora, eu tinha por volta de 7 a 8 anos de idade...

      A turma estava em silêncio atenta a tudo.

      O menino continuou:

      - Além de mim, havia mais 3 irmãozinhos, um de 4 anos, outro de 2 anos e uma irmãzinha com apenas alguns dias de vida.

      Silêncio total em sala.

      -... Foi aí que não sei como, a nossa casa que era muito simples, feita de madeira, começou a pegar fogo. Minha mãe correu até o quarto em que estávamos, pegou meu irmãozinho de 2 anos no colo, eu e meu outro irmão pelas mãos e levou-nos para fora. Havia muita fumaça, as paredes que eram de madeira pegavam fogo e estava muito quente...

      Minha mãe colocou-me sentado no chão do lado de fora e disse-me para ficar com eles até ela voltar, pois tinha que pegar minha irmãzinha que continuava lá dentro da casa em chamas.

      Só que quando minha mãe tentou entrar na casa em chamas as pessoas que estavam ali não deixaram. Eu via minha mãe gritar:

      - Minha filhinha está lá dentro!

      Vi no rosto da minha mãe o desespero, o horror e ela gritava, mas aquelas pessoas não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha...

      Foi aí que decidi.

      Peguei meu irmão de 2 anos que estava em meu colo e o coloquei no colo do meu irmãozinho de 4 anos e disse-lhe que não saísse dali até eu voltar.

      Saí por entre as pessoas sem ser notado e quando perceberam eu já tinha entrado em casa.

      Havia muita fumaça, estava muito quente, mas eu tinha que pegar minha irmãzinha.

      Eu sabia o quarto em que ela estava.

      Quando cheguei lá ela estava enrolada num lençol e chorava muito...

      Nesse momento vi cair alguma coisa, então joguei-me em cima dela para protegê-la, e aquela coisa quente encostou em meu rosto...

      A turma estava quieta atenta ao menino e envergonhada. O menino continuou:

      - Vocês podem achar esta CICATRIZ feia, mas tem alguém lá em casa que a acha linda e todo dia quando chego a casa, ela, a minha irmãzinha, me beija porque sabe que é marca de AMOR.

      Vários alunos choravam, sem saber o que dizer ou fazer, mas o menino foi para o fundo da classe e quietamente sentou-se.

      (Para ti que LESTE esta história, pensa o seguinte: o mundo está cheio de CICATRIZES.
      Não de CICATRIZES visível mas das cicatrizes que não se vêem.
      Estamos sempre prontos a abrir cicatrizes nas pessoas, seja com palavras ou nossas acções.)


      Autor Desconhecido
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem




    • Paixão x Amor


      A paixão é um sentimento, o amor é uma decisão
      A paixão pensa em si mesmo, o amor pensa no próximo.
      A paixão tem pressa, o amor tudo espera
      A paixão é temporária, o amor é eterno.
      A paixão é irresponsável, o amor é responsável
      A paixão é cega, o amor enxerga.
      A paixão é coraçãozinho com as mãos, o amor são os cravos nas mãos.

      In: Revista missionária
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem


    • Aqui estão elas, as belas Plêiades para abrilhantar o meu Avatar



      As Plêiades formaram-se a partir da mesma nuvem de gás e poeira cósmica há apenas 100 milhões de anos e são queridinhas da Ciência e da mitologia graças à proximidade que existe entre as estrelas e seu intenso brilho. Elas são conhecidas desde a antiguidade por culturas de todo o mundo, incluindo os maoris, celtas, maias, astecas, persas etc., e seu nome vem do vocábulo plein — usado pelos gregos para definir o período de navegação pelo Mediterrâneo.

      Mais tarde, o nome foi associado à mitologia grega, na qual as Plêiades são as sete filhas de Atlas e Pleione que, por sua vez, é filha do titã Oceano e Tétis. As irmãs têm o nome de Alcíone, Electra, Estérope, Celeno, Mérope, Taígeta e Maia e eram perseguidas por Orion, que se encantou com sua beleza. Assim, para escapar das garras do caçador, elas foram transformadas em estrelas pelos deuses.

      Aglomerado estelar
      Caso nunca tenha ouvido falar a respeito das Plêiades, elas formam um grupo de sete estrelas — por isso também são conhecidas como “Sete Irmãs” — que se encontram na Constelação de Touro, a aproximadamente 430 anos-luz de distância da Terra. Elas são visíveis a olho nu a partir de praticamente todos os continentes e, dependendo da época do ano, torna-se ainda mais fácil encontrá-las no céu.


      A forma mais simples de localizá-las é achando o Cinturão de Orion — mais conhecido como “Três Marias” — e, então, seguir com os olhos por uma linha recta até deparar-se com outra constelação. Essa é a de Touro, vizinha de Orion, e nela poderá identificar um enorme “V” formado por algumas estrelas e que compõem a face do touro.


      Então saberá que está no caminho certo depois de encontrar uma estrela muito brilhante chamada Aldebaran — ou Alpha Taurie — que exerce o papel de olho flamejante do touro. Pois, seguindo adiante, ainda em linha recta, encontrará várias estrelinhas mais ou menos na altura do “ombro” do touro, e essas são as famosas Plêiades.

      Na verdade, o agrupamento é formado por centenas de estrelas mantidas juntas por sua força gravitacional. Elas vagam pelo espaço a cerca de 40 quilômetros por segundo, e muitas delas são centenas de vezes mais brilhantes do que o nosso Sol. Aliás, se quiser testar os seus olhos para comprovar se a sua visão é tão aguçada como a de um guerreiro da antiguidade, as Plêiades tornam-se especialmente brilhantes no céu durante o verão.


      In: megacurioso.com.br/astronomia/…digna-de-um-guerreiro.htm
      O Tempo pergunta ao Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem
      O Tempo responde ao Tempo
      Que o Tempo tem tanto Tempo
      Quanto Tempo o Tempo tem